Explosão em ônibus mata pelo menos 8 em Jerusalém

Um atentado suicida provocou uma explosão em um ônibus em Jerusalém na manhã deste domingo, resultando na morte de oito pessoas e ferindo cerca de 60. Autoridades israelenses aproveitaram o caso para justificar a construção de um muro de contenção na área.A Brigada de Mártires Al-Aqsa, grupo militante com laços distantes com a Fatah, reivindicou a responsabilidade pelo atentado e informou que seu autor foi Mohammed Zool, de 23 anos.O ataque ocorreu apenas um dia após tribunais terem dado início a audiências sobre o muro. A explosão ocorreu em torno das 8h30 da manhã (horário local), momento em que o ônibus passava em frente a um posto de gasolina no centro de Jerusalém. O ataque destruiu a traseira do ônibus."Parecia um terremoto", disse Ora Yairov, que estava no posto de gasolina no momento da explosão, em entrevista concedida ao canal de televisão Channel One. "O posto ficou sob cacos de vidro e pedaços de corpos".Autoridades israelenses utilizaram o atentado para justificar a construção de um muro, que vem sendo questionada por tribunais internacionais. Israel acredita que isso afastará militantes que já provocaram a morte de centenas de israelenses em mais de três anos de violência."O ataque prova o quanto é urgente a construção desse muro", disse o ministro de assuntos exteriores de Israel, Silvan Shalom. "Trata-se claramente de uma medida preventiva. Vamos continuar construindo esse muro, pois precisamos salvar vidas." O primeiro-ministro palestino, Ahmed Qureia, condenou o atentado deste domingo e pediu "que se acabe imediatamente com essas ações".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.