Kim Brent/The Beaumont Enterprise via AP
Kim Brent/The Beaumont Enterprise via AP

Explosão em planta petroquímica no Texas fere 3 e esvazia 4 cidades

A ordem de saída obrigatória abrange as cidades de Port Neches e Groves e parte de Nederland e Port Arthur

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2019 | 21h00

PORT NECHES, TEXAS - Explosões em uma planta petroquímica do Texas, EUA, deixou ao menos três trabalhadores feridos e forçou a retirada de moradores de quatro cidades do Estado, no mais recente de uma série de acidentes em fábricas químicas na região. A explosão que ocorreu no Grupo TPC em Port Neches foi seguida por uma série de explosões secundárias que quebraram janelas e explodiram portas das casas dos moradores da região. 

Autoridades do Contado de Jefferson ordenaram a residentes dentro de um raio de 6,4 km da planta a deixar imediatamente o local após a explosão. A ordem de saída obrigatória abrange as cidades de Port Neches e Groves e parte de Nederland e Port Arthur, no Texas. 

A ordem atinge cerca de 60 mil pessoas que vivem dentro desse raio. A planta está localizada em uma área de 88 hectares, a cerca de 145 km de Houston. Ela processa petroquímicos usados na fabricação de borracha sintética e resinas e um aditivo à gasolina. O TPC está situado entre vários outros complexos químicos que não foram afetados pelas chamas. 

O porta-voz da TPC, Peyton Keith, disse que os bombeiros estavam determinados a reduzir o fogo a uma unidade de processamento e tentavam impedir que as chamas se espalhassem. Ele não soube dizer quando o fogo poderia ser extinto. 

Uma grande coluna de fumaça podia ser vista a quilômetros de distância e liberou compostos orgânicos voláteis que podem levar à irritação nos olhos, nariz e garganta, falta de ar, dores de cabeça e náusea, segundo explicou uma comissão do Texas sobre qualidade ambiental (TCEQ, na sigla em inglês). Nenhum impacto na água foi registrado. O diretor-executivo da TCEQ, Toby Baker, criticou o que chamou de "tendência inaceitável de incidentes significativos" na região e prometeu averiguar os casos no Estado. 

Em março, um incêndio em um complexo de armazenamento de produtos químicos nos arredores de Houston queimou por dias e foi seguido, um mês depois, por outro em uma fábrica da KMCO LLC a nordeste de Houston, que matou um trabalhador e feriu um segundo. Um incêndio em uma fábrica química da Exxon Mobil Corp em Baytown, em julho, feriu 37. / REUTERS 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.