EFE/EPA/ILYA MOSKOVETS
EFE/EPA/ILYA MOSKOVETS

Explosão em prédio na Rússia deixa mortos e soterrados

Informações iniciais são de que explosão de gás causou os danos

Redação, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2018 | 05h06
Atualizado 31 Dezembro 2018 | 09h07

Ao menos quatro pessoas morreram e 79 estão desaparecidas após parte de um prédio, na cidade de Magnitogorsk, na Rússia, explodir, na madrugada desta segunda-feira, de acordo com agências de notícias locais. As equipes de resgate se esforçam para conseguir retirar dos escombros sobreviventes da explosão, que, por enquanto, tem um vazamento de gás como principal suspeita da causa dos danos. 

 

Segundo a agência de notícia RIA, citando o ministério de emergências, pelo menos 1 mil pessoas vivem no prédio e 48 apartamentos foram afetados pela explosão. O ministério afirmou em seu site que 16 pessoas foram evacuadas e três foram resgatadas dos escombros. Diz, ainda, que a explosão pode ter sido causada por vazamento de gás. As explosões de gás são frequentes na Rússia, onde a grande maioria dos edifícios residenciais foram construídos nos tempos da União Soviética com materiais de baixa qualidade.

"Sabemos de 52 pessoas: 16 foram evacuadas, quatro foram hospitalizadas e 28 entraram em contato com as autoridades", além dos quatro mortos, informou o gabinete de imprensa do governador de Chelyabinsk. As autoridades acreditam que há mais desaparecidos sob os escombros, embora não se descarte que parte deles não tenha passado a noite no edifício e se comuniquem nas próximas horas com os serviços de emergência para informar seu paradeiro.

Gritos por socorro podem ser ouvidos no local da explosão. Tudo aconteceu por volta das seis da manhã, horário local, 23h, horário de Brasília, enquanto muitos residentes estavam dormindo. / REUTERS / AFP 

Mais conteúdo sobre:
RússiaGásapartamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.