Explosão em quartel italiano deixa ao menos 4 mortos no oeste do Afeganistão

Em outro incidente, soldado da aliança é morto por afegão em uniforme militar

Efe

30 de maio de 2011 | 09h06

CABUL - Pelo menos quatro pessoas morreram e 33 ficaram feridas por duas explosões registradas nesta segunda-feira, 30, junto a uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) sob comando italiano e a um cruzamento de ruas na cidade de Herat, no oeste afegão, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

 

Veja também:

link Otan promete investigar morte de civis afegãos

 

O chefe da Polícia provincial, Noor Khan Nekzad, explicou que uma das bombas foi colocada em um carro, enquanto a outra estava escondida em uma panela.

 

Nekzad informou que após a explosão teve início um tiroteio entre as tropas internacionais e três insurgentes que ocupavam um edifício próximo.

O oficial não confirmou informações divulgadas pela imprensa local, entre elas a de que as explosões teriam sido provocadas por terroristas suicidas.

 

O duplo ataque ocorre em meio a uma intensificação da violência suscitada pelo lançamento de uma ofensiva armada por parte dos taleban.

 

Horas antes dos incidentes armados em Herat, a agência local "AIP" informou sobre a morte de quatro soldados do contingente da Otan no domingo pela explosão de uma mina no distrito central de Saidabad.

 

Uniforme

 

Também nesta segunda, um soldado da Otan foi morto por um afegão que trajava um uniforme militar. Segundo a aliança, uma investigação sobre o caso já foi aberta.

 

A Otan não divulgou a nacionalidade do militar morto na ação.

 

As operações das forças da Otan em resposta à ofensiva taleban provocaram a morte de pelo menos nove civis na província de Helmand (sul do país) durante um bombardeio aéreo no sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtansoldadostalebanmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.