Explosão em vulcão mata ao menos 19 pessoas

Governador da província de Albay, Joey Salceda, disse que pedras expelidas eram do tamanho de carros

AE, Agência Estado

07 de maio de 2013 | 07h45

MANILA - Um dos vulcões mais ativos das Filipinas passou a expelir grandes rochas e cinzas nesta terça-feira, 7, para a surpresa de quase 30 alpinistas que tentavam escalá-lo. Pelo menos 19 pessoas morreram ao serem atingidas pelas pedras.

 

Alpinistas feridos tiveram de ser resgatados por helicópteros. Os alpinistas e seus guias filipinos tinham passado a noite acampados em dois grupos, antes de saírem logo no início da manhã (horário local) para a cratera do vulcão Mayon, quando a súbita explosão de rochas, cinzas e nuvens de fumaças sacudiu a montanha, disse o guia Kenneth Jesalva para a rede de televisão ABS-CBN pelo celular.

Ele disse que rochas do tamanho de "uma sala de estar" caíram dos céus, matando e ferindo membros de seu grupo. Algumas pessoas ficaram em estado crítico, contou o guia. Jesalva afirmou que ele correu de volta para o acampamento-base para pedir ajuda.

Entre os mortos estão três alemães e seu guia filipino, disse o governador da província de Albay, Joey Salceda. Segundo a autoridade, todos na montanha já tinham sido encontrados, com exceção de um estrangeiro que foi dado como morto.

Salceda disse que os outros estavam sendo trazidos para baixo da montanha. "Os feridos são todos estrangeiros... Eles não podem andar. Se você pode imaginar, as pedras são do tamanho de carros. Algumas delas escorregaram e rolaram", disse o governador em Legazpi, capital da província no sopé da montanha.

Um alpinista austríaco e dois espanhóis foram resgatados com pequenas contusões, disse. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
filipinasvulcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.