Explosão mata 22 em posto da polícia italiana no Iraque

Uma explosão atingiu o posto central da polícia italiana em Nassíria, ao sul do Iraque. O ataque causou a morte de 22 pessoas - 14 italianos e oito iraquianos. A explosão foi provocada por um caminhão que se aproximou de um dos prédios do complexo do posto central da polícia, após derrubar o portão de entrada. O porta-voz italiano disse que o prédio encontra-se em chamas. A Itália enviou 2,5 mil soldados para ajudar a reconstrução no Iraque. A CNN diz haver vários feridos da coalizão, citando informações do escritório de imprensa britânico em Basra.Em Roma, a polícia italiana confirmou a morte de 14 de seussoldados e alertou para a possibilidade de mais vítimas estaremsob os escombros da base. A Al-Jazira informou que oitoiraquianos também morreram na explosão. Este foi o primeiro ataque do tipo em Nassíria, uma cidademuçulmana sunita relativamente calma desde a invasão do Iraquepor tropas lideradas pelos Estados Unidos, e teria como objetivoaparente enviar uma mensagem às organizações internacionais deque elas não estão seguras em nenhum lugar do Iraque. O presidente da Itália, Carlo Azeglio Ciampi, qualificou aexplosão como um "ato terrorista". O primeiro-ministro SilvioBerlusconi garantiu que o episódio não prejudicará ocomprometimento da Itália no Iraque. Em Roma, o major carabinieri Roberto Riccardi, confirmou amorte de 14 italianos - 11 policiais paramilitares e trêssoldados do Exército. Andrea Angeli, um porta-voz da coalizão, disse por telefone, em Nassíria, que um caminhão-bomba causou a explosão ealguns iraquianos também morreram no atentado. De acordo com Angeli, o caminhão atravessou o portão da base efoi detonado em frente ao edifício que abrigava os policiais. Olocal atacado é a antiga sede da câmara de comércio deNassíria. Angeli comentou que a explosão foi tão potente que estilhaçoujanelas de edificações erigidas na outra margem do Rio Eufrates.Todos os veículos estacionados por perto foram incendiados. Eledisse ainda que explosões secundárias ocorreram em um arsenalpróximo pouco depois do atentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.