Explosão mata 7 durante orações em centro islâmico no Paquistão

Pelo menos sete pessoas, incluindo uma criança de 8 anos de idade, foram mortas no Paquistão nesta quinta-feira quando uma explosão destruiu um centro islâmico lotado durante as orações da noite.

Reuters

16 de janeiro de 2014 | 17h44

Ninguém reivindicou imediatamente a responsabilidade pelo ataque em Peshawar, uma cidade volátil na fronteira do Paquistão com o Afeganistão. Cerca de 70 pessoas ficaram feridas, disseram autoridades.

Shafqat Malik, um policial graduado e chefe de um esquadrão local antibomba, disse que um dispositivo cronometrado explodiu no centro islâmico, conhecido como Tableeghi Markaz.

"Cinco quilos de explosivos foram jogados em uma lata... ela explodiu quando o edifício estava cheio de fiéis à noite", disse.

Iqbal Afridi, um médico do hospital Lady Reading, em Peshawar, disse que alguns dos feridos estavam em estado crítico e que o número de mortos ainda poderá subir. Jamil Shah, um porta-voz do hospital, afirmou que uma criança de 8 anos de idade tinha morrido.

"Cerca de 4.000 pessoas estavam dentro do Markaz quando a explosão ocorreu", disse à Reuters a testemunha Ashraf Khan Mohmand. "Havia fumaça e uma escuridão, e não podíamos ver nada. Podíamos ouvir apenas o choro dos feridos."

O Taliban paquistanês, cujo novo líder mulá Fazlullah pediu o fim dos ataques contra civis no fim do ano passado, procurou se distanciar do ataque. Fazlullah prometeu atacar apenas os funcionários do governo e de segurança.

"O TTP (Taliban paquistanês) rejeita veementemente tais atividades desumanas", disse à Reuters o porta-voz do Taliban, Shahidullah Shahid, por telefone de um local não revelado.

(Reportagem de Jibran Ahmad, em Peshawar; e de Saud Mehsud, em Dera Ismail Khan)

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOTALIBANEXPLOSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.