Explosão mata pelo menos 4 e deixa mineiros presos na Colômbia

Acidente no norte do país, atribuído a acúmulo de gases, matou pelo menos quatro mineiros.

BBC Brasil, BBC

26 de janeiro de 2011 | 14h00

Acidente ocorrido no norte do país é atribuído a acúmulo de gases na mina

Uma explosão em uma mina de carvão no norte da Colômbia matou pelo menos quatro pessoas e feriu outras cinco na manhã desta quarta-feira, segundo relatos de autoridades locais à imprensa do país.

Acredita-se que entre 13 e 30 mineiros ainda estejam presos dentro da mina. Não há detalhes sobre seu estado de saúde, e equipes de resgate trabalham no local.

O acidente está sendo atribuído a um acúmulo de gases na mina, que fica no município de Sardinata, no departamento (Estado) de Norte de Santander, próximo à fronteira com a Venezuela. Ainda não há uma confirmação oficial sobre a causa da explosão.

A Colômbia é um dos maiores exportadores mundiais de carvão e tem a segunda maior reserva do mineral na América do Sul, atrás apenas do Brasil.

A mina em Sardinata, chamada La Preciosa, produz carvão para consumo interno e já havia sido cenário de uma explosão em fevereiro de 2007, que resultou na morte de mais de 30 trabalhadores. Na época, autoridades prometeram intensificar a segurança nas minas do país.

Acidentes na América do Sul

O acidente desta quarta é o mais recente de uma série envolvendo minas na América do Sul.

Em novembro passado, nove trabalhadores morreram em duas minas de Cundinamarca, também na Colômbia. Já em outubro, um deslizamento de uma mina de ouro no sul do Equador deixou ao menos dois mortos.

Em agosto, 33 mineiros chilenos foram resgatados com sucesso depois de passarem dois meses presos em uma mina de cobre.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.