Explosão mata pelo menos dois em santuário islâmico na Índia

Pelo menos 17 pessoas foram feridas no atentado provocado um dia antes do fim do mês sagrado muçulmano

Associated Press e Efe,

11 de outubro de 2007 | 13h44

Uma explosão num famoso santuário muçulmano no norte da Índia matou pelo menos duas pessoas e feriu outras 17, um dia antes de um dos dias mais sagrados do calendário islâmico.   Policiais disseram que duas pessoas morreram e 17 ficaram feridas. Mas uma rede de tevê local afirmou que pelo menos três pessoas morreram e 20 ficaram feridas na explosão.   A explosão no santuário Khwaha Moinuddin Chishti, um santo muçulmano do século 12, ocorreu pouco antes do anoitecer, no momento em que centenas de homens e mulheres quebravam o jejum diário que respeitam no mês sagrado islâmico do Ramadã.   O atentado parece ter sido causada por uma bomba escondida dentro de uma caixa de alimentos de metal, disse S. Sengthir, superintendente da polícia em Ajmer, onde fica o santuário.   O Ministério do Interior indiano assegurou que se trata de um atentado "terrorista" e apontou como possíveis responsáveis grupos terroristas islâmicos como o Lashkar-e-Toiba, cujo centro de operações está no Paquistão.

Tudo o que sabemos sobre:
atentadoÍndia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.