Explosão mata seis palestinos na Cisjordânia

Seis palestinos morreram na madrugada desta segunda-feira, no campo de refugiados de Al-Fara, próximo à cidade de Nablus, arredores de Jerusalém, em conseqüência de uma explosão que destruiu o barracão feito com chapas metálicas onde eles estavam. A causa da explosão ainda não foi esclarecida até o momento. As seis vítimas eram militantes da facção palestina Fatah, da qual faz parte o chefe da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Yasser Arafat. Três deles eram membros de um serviço de inteligência militar palestino. Segundo membros da segurança israelense, eles estariam na lista de pessoas procuradas por Israel, suspeitos de planejar atentados no País. Os mortos foram identificados como Mahar Jawabri, Abdel Rahman Mubarak e Hikmet Abu Habal, os três membros da inteligência militar palestina, os militantes Munir Abu Jaroor e Amin Malik, e Mohammed Tayeh, dono da residência. O incidente se deu após um dia agitado em Jerusalém, com combates na parte antiga da cidade, chamada de Monte do Templo pelos judeus e de Santuário Nobre pelos muçulmanos. Na ocasião, a polícia israelense reprimiu com violência manifestantes palestinos que atiraram pedras em religiosos israelenses que oravam no Muro das Lamentações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.