Explosão mata sete peregrinos na Caxemira

Duas explosões de granada, detonadas por supostos extremistas islâmicos, atingiram o caminho para um dos mais importantes santuários hindus da Caxemira, matando sete peregrinos e ferindo outros 25. As explosões ocorreram numa cozinha comunitária no caminho usado por milhares de pessoas para fazer a escalada até o santuário de Vaishno Devi. A polícia atribuiu o atentado a extremistas. Swami Chinmayananda, vice-ministro do Interior, culpou o Paquistão pelo atentado. ?Não sabemos se foi o ISI (serviço secreto paquistanês) ou o Lashkar-e-Tayyba (grupo terrorista na ilegalidade), mas alguma força do tipo está por trás disso?, afirmou à TV indiana. O relacionamento entre Índia e Paquistão, países que disputam a soberania sobre a Caxemira, vinham melhorando recentemente. Os dois países retomaram laços diplomáticos plenos e alguns serviços de transporte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.