Explosão na Bélgica deixa 15 mortos e 60 feridos

Pelo menos 15 pessoas morreram e maisde 200 ficaram feridas na explosão de um gasoduto no distritoindustrial de Ghislenghien, cerca de 30 quilômetros a sudeste dacapital belga, informou um porta-voz do Ministério do Interior. A explosão ocorreu quando trabalhadores da construção civilperfuraram acidentalmente uma tubulação subterrânea de gásnatural com um metro de diâmetro, acrescentou o funcionário,anunciando a abertura de ampla investigação. Unidades do Exército coordenaram os trabalhos de socorro eresgate das vítimas. Dezenas de ambulâncias e dois helicópterosforam mobilizados. A vizinha França enviou dez ambulâncias e umhelicóptero. A maioria dos feridos apresentava queimaduras. O estado depelo menos 30 é apontado pelos médicos como extremamente grave.Muitas vítimas foram levadas de helicópteros para hospitais deParis, a 240 quilômetros de distância. O impacto e as gigantescas labaredas cor de laranja puderamser sentidos e vistos há vários quilômetros de distância. "Aterra tremeu", disse uma testemunha. "Pensei que estávamossofrendo um terremoto", emendou outra. O calor liberado pela explosão danificou vários automóveisestacionados a 500 metros do local. Duas fábricas próximaspegaram fogo, inclusive uma subestação de energia elétrica. "Tive a nítida impressão de um avião caíra nas imediações deminha casa", disse Carine Vanus, que mora a nove quilômetros deGhislenghien. "Quando fui para a rua, vi uma grossa coluna defumaça branca no céu e um som estranho", acrescentou. Elise Hoffman que mora em Silly, quatro quilômetros adiante,contou que a explosão fez sua casa tremer. "Alguns objetoscaíram ao chão", disse ela. "Saí correndo para a rua e vi chamascom mais de 100 metros de altura. Passadas quase uma hora doacidente, eu ainda tremia..." Moradores das imediações foram aconselhados a permanecerem nointerior de suas casas, com portas e janelas fechadas. Mas asautoridades sanitárias belgas tranqüilizaram a população,assegurando que a fumaça não era tóxica e, portanto, não havianecessidade de retirar ninguém da região. Uma rodovia, a E429, foi interditada. O gasoduto acidentadosai do porto belga de Zeebrugge e estende-se até à França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.