Explosão na Pemex continua sob investigação

As causas da explosão em um edifício da Pemex, na Cidade do México, na quinta-feira, que deixou pelos menos 25 mortos e 101 feridos, ainda não foram esclarecidas, mas as teorias vão desde incêndio elétrico e problemas com o sistema de ar-condicionado a um possível atentado.

AE, Agência Estado

01 de fevereiro de 2013 | 12h26

Após supervisionar os danos causados pela explosão no edifício B-2 da Torre Executiva da Pemex, o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, deixou claro que não se deve especular sobre as causas do acidente. "Nós não temos um relatório conclusivo sobre a causa" da explosão, afirmou o presidente a jornalistas. "Nós vamos trabalhar a fundo na investigação para descobrir primeiro o que aconteceu ...e se houver pessoas responsáveis, neste caso, que se aplique todo o peso da lei contra elas."

Cerca de 46 pessoas continuam hospitalizadas após o incidente, algumas com ferimentos graves e outras com cortes, fraturas e queimaduras. Autoridades disseram que entre os mortos, há 17 mulheres e oito homens.

Mais de 500 bombeiros, soldados e equipes de resgate escavavam nesta sexta-feira pedaços de concreto com cães, caminhões e um guindaste da Pemex.

O ministro do Interior Miguel, Osorio Chong, disse que não estava claro se parte das cerca de 10 mil pessoas que trabalham na sede do edifício ainda estavam presas entre os destroços, mas que os trabalhos de busca vão continuar. A explosão ocorreu por volta 15h45 (horário local) de ontem, perto do fim da jornada de trabalho administrativa, e atingiu o subsolo e os dois primeiros andares.

A Pemex disse primeiro que ordenou a retirada dos funcionários da torre e de um prédio administrativo de 14 andares devido a um problema com o sistema elétrico. Mais tarde, a empresa postou no Twitter que a Procuradoria Geral da República estava investigando a explosão.

Segundo o jornal mexicano El Universal, a empresa afirmou que seus sistemas de produção e execução continuam normais, após a explosão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoPemexexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.