Explosão no Afeganistão fere 2 soldados dos EUA

O Exército dos EUA disse nesta quinta-feira que está investigando a explosão de uma mina que feriu dois soldados americanos no leste do Afeganistão. Devido à explosão de quarta-feira, perto da localidade de Gardez, oas médicos tiveram de amputar o pé direito de um dos soldados, disse o coronel Roger King, porta-voz do Exército na base aérea de Bagram. O outro soldado sofreu "lesões faciais menores", disse o porta-voz militar. "O incidente está sendo investigado", disse King, sem dar maiores explicações. Enquanto isso, tropas americanas destruíram com explosivos um esconderijo de armas e munições na província oriental de Khost, onde havia 57 granadas propulsadas por foguetes e 360 projéteis de fuzil com calibre de 75 milímetros. Na cidade afegã de Kunduz, um artefato explosivo artesanal explodiu durante a noite no interior de um edifício das Nações Unidas, sem causar vítimas, anunciou um porta-voz local da ONU, explicando que o edifício é sede da Organização Internacional de Migrações (IOM).Uma hora depois dessa primeira agressão, uma segunda explosão - que também não deixou vítimas - sacudiu o comando local do Exército afegão e nos arredores de Cabul um escritório da Unicef, a agência da ONU para a Infância, foi assaltado pela segunda vez em 15 dias.O primeiro assalto ocorreu em 3 de fevereiro passado, quando um grupo de homens armados levou uma grande quantidade de dinheiro. Em 14 de fevereiro, a sede da instituição não-governamental Solidarites, em pleno centro de Cabul, também foi assaltada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.