Explosões atingem capital da Arábia Saudita

Três explosões estremeceram na noite deste sábado um condomínio residencial da capital saudita, um dia depois de os Estados Unidos terem advertido sobre possíveis ataques extremistas no reino. Uma autoridade do governo afirmou que as explosões ocorreram depois de homens armados terem entrado no condomínio no oeste de Riad e trocado tiros com guardas de segurança.Havia notícias conflitantes sobre o número de mortos e feridos. A oficial Agência Saudita de Notícias descreveu o ataque como "terrorista". Hanadi al-Ghandaki, síndica do condomínio atacado, estimou que cem pessoas ficaram feridas e um morador falou sobre 20 a 30 mortos, segundo o canal de televisão por satélite Al-Arabiya.Sob condição de anonimato, um funcionário de um hospital saudita confirmou a existência de dezenas de mortos em decorrência das explosões contra o condomínio. Segundo a fonte, também há dezenas de feridos, inclusive estrangeiros que moram no local.A polícia revelou que as explosões ocorreram a aproximadamente cinco quilômetros de uma das entradas do distrito diplomático - uma área de Riad fortemente guardada onde situam-se as embaixadas dos países com relações diplomáticas com o governo saudita. Ainda era possível observar chamas consumindo o local horas depois das explosões. Amanda Batt, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA em Washington, disse que nenhum americano ficou ferido.AlertaO ataque ocorre um dia depois de a Embaixada dos EUA ter emitido uma advertência sobre iminentes ações terroristas no reino do Golfo Pérsico. Neste sábado, os EUA fecharam todas as suas missões diplomáticas na Arábia Saudita. Diplomatas relataram uma grande explosão por volta da meia-noite e duas menores em intervalos de 15 segundos. As ruas estavam repletas de pessoas devido ao Ramadã, o mês sagrado no qual os muçulmanos jejuam durante o dia. Dezenas de veículos policiais e ambulâncias chegaram rapidamente ao local das explosões e helicópteros sobrevoavam a região. O tráfego ficou congestionado em toda a cidade.?Muito sangue?Uma moradora do condomínio relatou à The Associated Press, por telefone, que "existe muito sangue" no local das explosões. "Estou extremamente amedrontada. Parecia um terremoto", afirmou a mulher, que não se identificou. "Muitas casas ficaram danificadas, janelas estilhaçadas e é grande o barulho das sirenes da polícia e de ambulâncias", acrescentou. "As ambulâncias estavam pegando muitas pessoas. Parece que muitos morreram."A autoridade saudita informou que as explosões ocorreram no condomínio Muhaya. Ele disse que os atacantes trocaram tiros com os guardas e então houve as explosões. Ele afirmou que a maioria dos feridos era composta por crianças porque seus pais estavam fazendo compras durante o Ramadã. A maioria dos moradores da região é saudita e poucos ocidentais vivem no local.A emissora MBC TV, com sede em Dubai, informou que os hospitais de Riad foram colocados em alerta máximo à espera de vítimas das explosões. De acordo com Al-Ghandaki, a síndica do condomínio, cerca de cem pessoas ficaram feridas. A maioria é composta por crianças, afirmou, "porque os pais estavam fora do condomínio no momento da explosão".Ela informou que o complexo residencial possui aproximadamente 200 casas de alto padrão ocupadas por moradores árabes em sua maioria. O condomínio abriga ainda quatro famílias estrangeiras, sendo duas alemãs, uma francesa e outra britânica.Atentado anterior ocorreu em maioUm ataque em maio contra condomínios residenciais em Riad deixou 35 mortos, incluindo os nove atacantes. Autoridades sauditas atribuíram o ataque a integrantes da rede Al-Qaeda e desde então prenderam centenas de supostos militantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.