Explosões atingem o quartel-general do Exército da Síria

Duas explosões atingiram o quartel-general do Exército da Síria nesta quarta-feira, na capital do país, Damasco. Logo depois começaram tiroteios pelas ruas da cidade e um incêndio no complexo fortemente vigiado, afirmaram a imprensa estatal e testemunhas.

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2012 | 09h27

Em comunicado, as Forças Armadas afirmaram que nenhum soldado ou comandante ficou ferido nos ataques, um deles detonado por carro bomba. Mas a emissora iraniana Press TV disse que um de seus correspondentes, Maya Nasser, de 33 anos, morreu nos confrontos que seguiram as explosões.

A agência de notícias do governo, a SANA, reportou que as bombas foram detonadas por volta das 7h (horário local, 1h no horário de Brasília), na área próxima da praça Omayyad. Testemunhas, que pediram para não serem identificadas por medo de represálias, afirmaram que intensos tiroteios estão ocorrendo dentro do quartel-general. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, baseado em Londres, afirmou que rebeldes invadiram o local e estão em combate com tropas do regime e que há baixas nos dois lados. Por outro lado, o Exército afirmou que a situação já foi controlada.

As explosões no centro de poder do regime demonstram o alcance das forças oposicionistas. A guerra civil na Síria começou em março de 2011, com protestos inicialmente pacíficos. Mas o governo do presidente Bashar Assad reprimiu violentamente as manifestações e os rebeldes pegaram em armas. De acordo com ativistas, até agora morreram 30 mil pessoas no conflito. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolênciaexplosões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.