Explosões de bombas no sul da Índia matam ao menos 11

Duas bombas colocadas em bicicletas explodiram em um mercado local lotado na cidade indiana de Hyderabad, nesta quinta-feira, e o ministro do Interior disse que pelo menos 11 pessoas foram mortas e 50 ficaram feridas.

Reuters

21 de fevereiro de 2013 | 14h29

Todas as grandes cidades do país foram colocadas em alerta máximo, anunciaram os canais de televisão, acrescentando que até 15 pessoas podem ter morrido nas explosões.

Hyderabad é um grande centro de TI na Índia, perdendo só para Bangalore. Microsoft e Google têm grandes escritórios na cidade.

"Ambas as explosões ocorreram dentro de um raio de 150 metros", afirmou o ministro Sushil Shinde a jornalistas, acrescentando que os explosivos foram colocados em bicicletas estacionadas no mercado lotado. "Oito pessoas morreram em um lugar, três no outro."

As explosões ocorreram menos de duas semanas após a Índia ter enforcado um homem da Caximira por um ataque militante ao Parlamento do país em 2001, que provocou confrontos violentos.

Testemunhas disseram à Reuters que ouviram pelo menos duas explosões na região de Dilsukh Nagar, em Hyderabadm logo após o anoitecer, mas poderia ter havido mais.

A TV local mostrou destroços e partes de corpos espalhados na ruaa, em um bairro lotado de salas de cinema, lojas, restaurantes e um mercado de frutas e legumes.

O primeiro-ministro Manmohan Singh chamou de "ataque covarde".

"Eu apelo ao público para manter a calma e manter a paz", disse ele em uma mensagem no Twitter.

(Reportagem de Devidutta Tripathy, Mayank Bhardwaj e Satarupa Bhattacharjya)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAEXPLOSOESMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.