Explosões de bombas provocam 4 mortes na Colômbia

Quatro pessoas morreram e pelo menos 10 ficaram feridas hoje devido à explosão de duas poderosas bombas em uma zona residencial de Bogotá, próxima ao lugar onde, na segunda-feira, foi desativada uma carga de dinamite informou o comandante da Polícia da capital colombiana, coronel Jorge Enrique Linares. Outras fontes indicaram que pode chegar a seis o número de mortos e a 25 o de feridos nas duas explosões.O coronel informou que dois indivíduos desceram de uma caminhonete e deixaram dois pacotes com cargas explosivas lado a lado, esta manhã (8h15 locais), numa rua de grande movimento, próxima à Universidade Nacional, um estádio de futebol e vários prédios de escritórios do governo. Uma das bombas, ao explodir,matou o terrorista que a carregava, relatou Boris Rey, uma testemunha que passava pelo local. "Vimos gente ferida e mortos", acrescentou Rey, que mora a 200 metros do lugar do primeiro atentado, e que foi levantado do assento de seu carro pela força da explosão. Ali morreram pelo menos duas pessoas. A segunda explosão ocorreu logo em seguida, nas proximidades da primeira, matando um policial e outra pessoa, segundo um informe oficial. No momento deste segundo atentado, havia dezenas de pessoas que vieram ao local atraídas pela primeira bomba, e que fugiram apavoradas enquanto as equipes da polícia, defesa civil e os bombeiros continuavam trabalhando no resgate das vítimas. Uma hora mais tarde, foi anunciada a explosão de outra bomba no sul de Bogotá, mas a polícia disse tratar-se de um falso alarme. As explosões das duas bombas em Bogotá deram continuidade à onda terrorista iniciada em 4 de maio, quando um carro-bomba foi detonado em Cali, causando ferimentos em 30 pessoas. Em 16 de maio, outro carro-bomba explodiu em Medellín, deixando 8 mortos e 130 feridos. Segundo a polícia, não há indícios de conexão entre os atentados, mas o presidente Andrés Pastrana pediu ontem à noite aos colombianos que integrem uma frente única contra oterrorismo. "Todos unidos vamos vencer a ameaça e o temor que os terroristas querem semear", disse Pastrana, que anunciou a adoção de medidas especiais de segurança - que, no entanto, não conseguiram evitar os atentados desta manhã em Bogotá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.