Explosões de carros-bomba no Iraque deixam 40 mortos

Uma onda de explosões de carros-bomba em cafés e mercados nos arredores de Bagdá matou neste sábado pelo menos 40 pessoas que celebravam nas ruas o término do feriado muçulmano do Ramadã, disseram autoridades.

Agência Estado

10 de agosto de 2013 | 16h48

A violência se intensificou no Iraque desde uma repressão por parte das tropas do governo contra um protesto sunita em abril e os ataques contra civis e as forças de segurança dispararam durante o Ramadã. O aumento dos atentados levanta temores de que o país pode estar à beira de uma nova rodada de conflitos sectários.

Segundo a polícia, o ataque mais grave deste sábado ocorreu nos subúrbios de Jisr Diyala, no sudeste de Bagdá, onde um carro-bomba explodiu perto de um mercado pouco antes do pôr-do-sol, deixando sete mortos e 20 feridos.

Outras 33 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em outros atentados similares próximos a cafés e restaurantes nas áreas xiitas de Bagdá, disseram os policiais. Autoridades médicas confirmaram os números de vítimas.

As forças de segurança do Iraque aumentaram as patrulhas e os postos de controle para proteger os civis durante as celebrações do feriado de Eid al-Fitr, que marca o término do jejum muçulmano. Este foi o Ramadã mais violento no país desde 2007, com 671 pessoas mortas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueatentadosmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.