Explosões deixam 60 mortos e 150 feridos na Índia

Governo afirma que incidente foi provocado por seis bombas; outros dois artefatos foram desativados

Agência Estado e Associated Press,

13 de maio de 2008 | 13h46

Uma série de explosões ocorridas nesta terça-feira, 13, na cidade indiana de Jaipur provocou a morte de 60 pessoas e feriu cerca de 150, segundo o primeiro-ministro do Estado do Rajastão, Vasundhara Raje. De acordo com a mídia indiana, as cinco explosões ocorreram no início da noite, pelo horário local, em áreas movimentadas de Jaipur, inclusive mercados.   A. S. Gill, comandante da polícia do Rajastão, foi citado pela agência de notícias Press Trust of India dizendo que as explosões são "obviamente um ataque terrorista". A cidade histórica, situada no Estado do Rajastão, é um popular destino turístico no oeste da Índia.   A região é repleta de antigos palácios e recebe anualmente milhares de turistas indianos e estrangeiros. "Pela forma que foi feita, a idéia era causar o maior número de vítimas", declarou Gill.   De acordo com ele, bicicletas foram utilizadas para promover os atentados. Ele não soube dizer, no entanto, se as ações foram suicidas ou se as bombas foram plantadas. As explosões começaram por volta das 19h30 locais e ocorreram num intervalo curto de tempo.   Nova Délhi, Bombaim e outras grandes cidades indianas foram colocadas em alerta e a segurança foi reforçada nos aeroportos e nas estações ferroviárias, disse Sriprakash Jaiswal, um subsecretário de Interior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.