Explosões deixam pelo menos 17 mortos na Argélia

Bombas lançadas contra o prédio que abriga o escritório do primeiro-ministro da Argélia e um segundo contra uma delegacia de polícia na capital mataram pelo menos 17 pessoas e deixaram dezenas de feridos, informaram autoridades nesta quarta-feira, 11.O premier Abdelaziz Belkhadem escapou ileso do ataque contra seu escritório, classificado por ele como um "ato terrorista criminoso, covarde".A agência de notícias APS divulgou que o atentado contra o prédio governamental matou pelo menos nove pessoas e feriu 32, e oito outras morreram e 50 ficaram feridas no atentado contra a delegacia de Bab Ezzouar, leste da capital, Argel.Duas testemunhas disseram que um atacante suicida jogou um carro-bomba contra o prédio do premier, que abriga também o Ministério do Interior.Seis andares do prédio foram parcialmente destruídos, e o portão de ferro da entrada foi avariado pela força da explosão, que ocorreu por volta das 10h50 (horário local).A explosão na frente da delegacia ocorreu quase simultaneamente. Ninguém assumiu imediatamente responsabilidade pelos atentados.A Argélia foi recentemente sacudida por uma série de mortíferos ataques a bomba atribuídos ao antigo Grupo Salafista para a Pregação e o Combate, rebatizado agora para Al-Qaeda no Magrebe.Pouco após o ataque, outra bomba explodiu em frente à delegacia do bairro de Bab Ezzouar, perto do aeroporto de Argel, deixando também um número indeterminado de feridos.Meios de comunicação locais responsabilizaram a organização terrorista Al-Qaeda no Magrebe pelos atentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.