Explosões e disparos em Cabul em ataque taleban

Confrontos foram registrados em uma área em que existem diversos edifícios de governo

Efe,

18 de janeiro de 2010 | 06h48

Várias explosões e disparos foram registrados nesta segunda-feira, 18, em uma zona de Cabul que reúne os principais edifícios administrativos, onde a polícia está enfrentando vários homens armados, segundo afirmaram diferentes testemunhas.

 

Os confrontos estão acontecendo perto do Banco Central do Afeganistão, em uma área na qual, além disso, estão os Ministérios de Justiça e Finanças, o Palácio Presidencial e o luxuoso hotel Serena, frequentado pelos visitantes estrangeiros.

 

Vários insurgentes conseguiram penetrar em um centro comercial próximo e estão enfrentando as forças de segurança no local, segundo disse à Efe o porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Bashary, que garantiu que este é o único tiroteio acontecendo no momento.

 

O porta-voz taleban Zabiulah Mujahid explicou que "vinte suicidas" se encontram na capital afegã com o propósito de atacar vários ministérios, após comentar ao canal Tolo TV que um deles se explodiu nas cercanias do Palácio Presidencial.

 

Em comunicado, a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês) disse estar "supervisionando a situação perto do banco central" do Afeganistão após ser registrada "uma explosão".

 

"O comando unido da Isaf está ajudando as forças afegãs a garantir a segurança da zona, e apoiaremos qualquer investigação subsequente ao fato", informou a organização na nota.

 

A antes segura Cabul, onde a presença de tropas estrangeiras e o desdobramento policial são maciços, foi palco de frequentes atentados suicidas e ataques com projéteis contra edifícios importantes nos últimos dois anos.

 

O último grande ataque aconteceu no último dia 15 de dezembro, quando cinco pessoas morreram em um atentado suicida registrado junto ao hotel Heetal, frequentado por clientes estrangeiros e próximo a escritórios governamentais.

Tudo o que sabemos sobre:
talebanCabul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.