Explosões em Cabul deixam cinco mortos

Pelo menos cinco afegãos morreram hoje em duas explosões ocorridas em pontos diferentes da capitalafegã, Cabul. Quatro especialistas em desativação de bombasmorreram na explosão acidental de uma mina antitanque duranteuma missão. O quinto afegão morreu na explosão de uma bomba na frente dasede em ruínas da antiga embaixada da ex-União Soviética, emCabul. Outras quatro pessoas, incluindo um soldado britânico daForça Internacional de Apoio à Segurança (Isaf), ficaram feridasno atentado.A bomba foi colocada dentro ou embaixo de um carrinho de mãode madeira, que explodiu quando este passava na frente da antigaembaixada, conforme esclareceu o chefe de polícia distrital GulRahman.O afegão morto, aparentemente, estava puxando o carrinho. Trêscivis que passavam de bicicleta - dois homens e uma mulher -foram feridos e receberam tratamento num hospital dasproximidades.O soldado da Isaf passava num carro de patrulha no momento daexplosão foi atingido por fragmentos de metal no pulso, afirmouo major Steve Odell, porta-voz da força."Ele estava em missão de patrulhamento, a caminho do antigopalácio real, e passou por alguma coisa que explodiu. Uma grandequantidade de fragmentos passou sobre o carro", disse Odell."Mas o ferimento que sofreu foi leve."Cinco veículos pertencentes à força multinacional - doisequipados com canhões montados e um grande veículo blindado deseis rodas, de transporte de pessoal - estavam estacionados naárea. Membros da Isaf e soldados afegãos faziam buscas sob asárvores, armados com fuzis automático, enquanto se formava umamultidão de afegãos curiosos.Vários peritos estrangeiros em desativação de bombas, usandocolete à prova de balas, examinaram a cratera de meio metro deprofundidade e de largura, que foi aberta na terra bem perto daestrada. Um soldado alemão, que examinou a cratera, disse queeles ainda não haviam determinado a causa da explosão, massuspeitavam que tivesse sido uma granada.Desde o dia 15, várias explosões ocorreram em Cabul. Assuspeitas recaem sobre a rede terrorista Al-Qaeda, liderada porOsama bin Laden, e partidários do ex-primeiro-ministro afegãoGubuldin Hekmatiar, rival político do atual líder do governoafegão, Hamid Karzai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.