Explosões em distritos cristãos matam ao menos quatro em Bagdá

Militantes da Al-Qaeda no Iraque reivindicam ataque; 58 morreram em igreja na semana passada

AE, Agência Estado

10 de novembro de 2010 | 11h54

Moradores de distrito cristão examinam restos de carro-bomba. Foto: Saad Shalash/Reuters

 BAGDÁ - Várias bombas atingiram casas onde vivem cristãos em Bagdá no início do dia de hoje, matando pelo menos quatro pessoas e ferindo outras 11, disseram autoridades iraquianas. Os ataques são uma mostra das ameaças enfrentadas pela minoria cristã após um massacre em uma igreja, ocorrido na semana passada, ter deixado 58 mortos. Militantes da Al-Qaeda no Iraque reivindicaram os ataques e ameaçaram realizar mais atos violentos contra os cristãos do país.  

Veja também:

especialCronologia: Guerra do Iraque, do começo ao fim

especialInfográfico: As franquias da Al-Qaeda

A polícia afirmou que as bombas explodiram perto de quatro casas em distritos de maioria cristã da capital iraquiana. Os funcionários disseram que as bombas detonaram com minutos de diferença. A polícia e funcionários de hospitais confirmaram as quatro mortes. Não está claro se todos eram cristãos. Ontem, uma série similar de ataques com bombas ocorreu no oeste de Bagdá, em casas de cristãos que estavam vazias. Porém, ninguém ficou ferido.

Enquanto isso, os líderes políticos iraquianos se preparam para o terceiro dia seguido de encontro para a formação de um novo governo, oito meses após eleições gerais que não tiveram um vencedor claro. Muitos acreditam que os militantes estão explorando o vácuo político criado pela indefinição, em meio a disputas sobre quem deve ser o próximo primeiro-ministro. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.