Explosões matam 25 na Nigéria; militantes islâmicos são suspeitos

Cinco explosões em um estacionamento de ônibus de Kano, maior cidade do norte da Nigéria, mataram pelo menos 25 pessoas nesta segunda-feira, segundo uma testemunha da Reuters, numa região onde a seita islâmica Boko Haram trava uma insurgência contra o governo.

Reuters

18 de março de 2013 | 18h36

O atentado ocorre no mesmo dia em que foi divulgada uma gravação em que um homem se identifica como o pai de uma família de sete turistas franceses sequestrados por militantes da Boko Haram.

Na gravação, ele lê uma ameaça da seita sobre intensificar os sequestros e atentados suicidas em Camarões caso as autoridades prendam mais seguidores do grupo.

A Boko Haram, que deseja instituir um Estado islâmico no norte da Nigéria, já matou centenas de pessoas desde que intensificou sua insurgência, há dois anos.

As explosões em Kano destruíram vários ônibus no bairro de Sabon Gari, habitado principalmente por migrantes do sul da Nigéria, região de maioria cristã. Policiais e militares isolaram a área após os incidentes.

Ninguém assumiu imediatamente a autoria do ataque, mas as suspeitas recaíram sobre a Boko Haram, que realiza ataques frequentes em Kano.

(Por Mike Oboh e John Irish, com reportagem adicional de Tim Cocks, em Lagos; de Felix Onuah, em Abuja; de Ibrahim Mshelizza, em Maiduguri, e de Isaac Abrak, em Kaduna)

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAEXPLOSOESISLAMICOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.