Explosões matam 26 trabalhadores na China

Vinte e seis trabalhadores morreram no sábado em explosões registradas em uma mina de carvão e em um tanque de petróleo, ambas na região autônoma uigur de Xinjiang (noroeste), segundo informou neste domingo a agência estatal Xinhua. O primeiro acidente aconteceu em uma mina de carvão próxima à cidade de Miquan, quando uma explosão de gás cuja origem é desconhecida atingiu o interior da jazida. Equipes de resgate se deslocaram ao local da tragédia, situado cerca de 30 quilômetros ao leste da capital regional, Urumqi. A temperatura no interior da mina beirava os mil graus centígrados, o que impediu por várias horas a entrada de médicos e voluntários, o que foi feito utilizando um túnel de emergência. Outros seis mineiros que se encontravam na entrada da mina sofreram queimaduras nos rostos e nas mãos, indicou um dos responsáveis pela jazida, que emprega 113 trabalhadores e é administrada pela Companhia Industrial de Química e Construção de Xingyaneng, de propriedade estatal. Também em Xinjiang, a agência Xinhua informou que pelo menos dez trabalhadores morreram no sábado na explosão do depósito de petróleo no qual operavam, situado na cidade de Karamay, a 260quilômetros de Urumqi. A explosão aconteceu quando os trabalhadores limpavam o interior do tanque. O número de mortos pode ser maior, já que a escuridãodificulta o trabalho das equipes de resgate. O depósito de petróleo pertence à companhia petroquímica de Dushanzi, da maior petrolífera estatal, a "China National Petroleum Corporation (CNPC)". As minas chinesas são as mais perigosas do mundo, com cerca de oito mil mortes por ano, seis mil delas nos poços de carvão, segundo dados oficiais, embora fontes independentes considerem que osnúmeros reais podem ser de até 20 mil óbitos anuais. Matéria atualizada às 14h30 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.