Dita Alangkara/AP
Dita Alangkara/AP

Explosões matam 9 e ferem 60 pessoas na Indonésia

Autoria dos atentados ainda é desconhecida. Uma terceira bomba foi desmontada sem detonar

Reuters

16 de julho de 2009 | 23h56

Pelo menos nove pessoas morreram na Indonésia, devido a explosões ocorridas nos hotéis Ritz-Carlton e Marriott, no centro da capital, Jacarta, na manhã desta sexta-feira, 17 (hora local). As informações são da polícia da cidade.

 

O porta-voz da força policial da Indonésia, Chrysnanda Dwilaksana, informou que ainda não se podia afirmar que as explosões tivessem sido provocadas por bombas. Já foram notificados pelo menos 60 pessoas feridas.

 

A primeira explosão aconteceu por volta das 7h40 (horário local e 21h45 de quinta-feira em Brasília). A segunda foi ouvida minutos depois. As bombas destruíram janelas e espalharam vidros e escombros pelas ruas. Os explosivos podem ter sidos detonados na parte da frente e no subterrâneo dos hotéis, relatou a agência de notícias Antara.

Uma terceira bomba, localizada numa das alas do Marriott, foi desmontada pela polícia local antes de explodir.

 

Várias embaixadas e algumas grandes instituições financeiras têm escritórios naquela região da capital da Indonésia.

Em 2003, um atentado no hotel Marriott deixou 12 pessoas mortas. O ataque foi atribuído ao grupo terrorista Jemaah Islamiyah, responsável também por ataques em Bali, em outubro de 2002, que deixou 202 mortos.  A facção, cujo nome quer dizer ''comunidade islâmica'', também é acusado de ser um braço da Al-Qaeda, mas a ligação nunca foi provada

 

Texto atualizado às 02:55 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.