Explosões matam mais 24 mineiros na China

Apenas um dia depois de duas explosões em minas de carvão chinesas deixarem 53 mortos e inúmeros feridos, outra explosão de gás causou a morte de pelo menos 24 mineiros, nesta segunda-feira, na província de Shanxi, ao norte do país. De acordo com a agência de notícias do governo chinês Xinhua, até agora 3.726 mineradores já morreram no país por conta deste tipo de acidente. Ainda de acordo com a Xinhua, "as licenças de produção e segurança da mina onde aconteceram as explosões já tinham vencido. Shanxi, que é responsável por um quarto da produção de carvão e também pelo mais alto índice de desastres, demitiu dois representantes do governo local por causa dos três últimos acidentes. Fim de semana repleto de mortes No sábado, o acúmulo de gás causou uma explosão em uma mina em Jixi, na província de Heilongjiang, região nordeste da China, matando 21 mineiros, segundo informações da Xinhua. Horas depois, um incidente parecido vitimou outras 32 pessoas em uma mina na cidade de Fuyuan, na província de Yunnan, no sul do país. As minas chinesas são consideradas as mais perigosas do mundo e matam uma média de 5 mil pessoas anualmente. Equipes de resgate ainda procuram seis mineiros desaparecidos na mina localizada em Jixi. Em Fuyuan, as autoridades informam que pelo menos 28 pessoas ficaram feridas. As causas dos dois acidentes estão sendo investigadas pelas autoridades do país. No começo deste ano, o governo da China prometeu desativar todas as minas de carvão de pequeno porte no país, com o intuito de diminuir o número de acidentes com vítimas. Ainda segundo a Xinhua, o governo demitiu dois políticos locais da região de Shanxi, depois que um acidente matou 55 pessoas em uma mina no mês de outubro. Cerca de 60% do total da energia consumida no país é produzida com a queima de carvão.

Agencia Estado,

27 Novembro 2006 | 03h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.