Explosões matam oito soldados dos EUA no Afeganistão

Oito soldados norte-americanos foram vítimas de duas explosões no sul do Afeganistão, confirmou hoje o Pentágono. Foi o pior incidente do tipo nos últimos meses. Um porta-voz do Pentágono, coronel Dave Lapan, disse que os soldados foram mortos ontem em duas explosões sucessivas, no mesmo local no distrito de Shorabak, na província de Kandahar. A província é onde nasceu o Taleban. A violência na região nos próximos meses deve ser um teste importante da capacidade das forças estrangeiras de manter território no sul do país, tomado no ano passado dos insurgentes.

AE, Agência Estado

27 de maio de 2011 | 10h50

O ataque também matou um policial afegão. Ele ocorreu quando a coalizão e forças afegãs estavam em uma patrulha, a 20 quilômetros da fronteira com o Paquistão. Um porta-voz do Taleban afirmou que o grupo é responsável pelo ataque, inicialmente revelado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A aliança não havia divulgado a nacionalidade das vítimas. Com o atentado, subiu para 199 o número de soldados estrangeiros mortos no Afeganistão este ano, segundo levantamento do site independente iCasualties.org. Desses, 148 são dos EUA. No ano passado, morreram 711 soldados estrangeiros no país.

As explosões ontem causaram a maior morte de soldados da Otan em um único incidente desde 27 de abril, quando nove norte-americanos foram mortos por um soldado afegão que abriu fogo em um centro de treinamento militar em Cabul. Há cerca de 130 mil soldados estrangeiros no Afeganistão, 90 mil deles dos EUA. O sul é a região mais violenta, sobretudo nas províncias de Kandahar e Helmand, fronteiriças com áreas do Paquistão apontadas como esconderijos dos militantes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUAsoldadosatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.