Explosões matam pelo menos 10 pessoas no Iraque

Carros-bomba e outras explosões mataram pelo menos 10 pessoas hoje no Iraque, incluindo um policial e dois adolescentes. Os ataques em Bagdá e no entorno da capital são os mais recentes de uma série, indicando um aparente aumento na instabilidade no país. Outras 34 pessoas ficaram feridas nessas ações.

AE, Agência Estado

23 de janeiro de 2011 | 10h53

As seis explosões ocorreram entre as 7 horas e as 10h30 (hora local). Na semana passada, uma série de explosões matou pelo menos 116 pessoas em três dias, acabando com a relativa calma no Iraque desde que o novo governo do primeiro-ministro Nouri al-Maliki foi formado, há um mês.

Hoje um carro-bomba atingiu uma patrulha de polícia no bairro de Al-Alam, no sudoeste de Bagdá, matando três pessoas, duas delas policiais. Oito pessoas ficaram feridas, quatro delas policiais, disse um funcionário. Outro veículo cheio de explosivos foi detonado na rua Abu Nawas, às margens do rio Tigre, que corre pela capital, deixando dois mortos.

No bairro de maioria xiita de Kadhimiyah, no norte de Bagdá, um carro-bomba atingiu um ônibus com peregrinos iranianos, matando um deles e ferindo outro oito, segundo um funcionário do Ministério do Interior. Os peregrinos estavam no Iraque para a comemoração do Arbaeen, que marca os 40 dias desde o aniversário da morte do Imã Hussein, um clérigo reverenciado pelos muçulmanos xiitas.

Em outro ataque com um carro-bomba, quatro pessoas se feriram, entre elas um policial, no distrito comercial de Karrada, no centro de Bagdá. Na avenida principal da cidade de Taji, 25 quilômetros ao norte da capital, uma bomba matou duas pessoas e feriu outras quatro.

Também ao norte de Bagdá, dois jovens foram mortos por uma bomba na cidade de Tarmiyah, disse o policial Nashat Sarhan. Segundo o policial, o alvo desse ataque era um miliciano xiita contrário à rede extremista Al-Qaeda. Os garotos, de 13 e 14 anos, estavam indo para a escola quando a bomba explodiu. O miliciano não foi ferido. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.