Explosões no centro de Riad matam pelo menos nove pessoas

O suicida e um oficial da polícia estão entre nove mortos e dezenas de feridos, até agora, depois que pelo menos uma bomba poderosa explodiu dentro de um carro, perto do quartel-general da polícia saudita. As fachadas dos prédios ao redor ficaram destruídas e os carros estacionado à volta foram esmagados pelos escombros, enquanto nuvens de poeira e fumaça negra subiam dos prédios das vizinhanças.O clima na capital tem sido tenso depois de uma série de embates entre a polícia e suspeitos de serem militantes muçulmanos e de um aviso dos Estados Unidos sobre a iminência de ataques terroristas.Uma nota sucinta do Ministério do Interior saudita diz que os atacantes tentaram entrar com o veículo no prédio onde está sediado o Departamento de Trânsito além do quartel-general da Segurança Geral.?O motorista explodiu o carro a 30 metros do portão do quartel-general?, diz a nota.O prédio da Segurança Geral, que é o centro administrativo das forças de segurança da Árabia Saudita, ficou seriamente danificado pelas explosões. O Ministério de Relações Exteriores fica logo atrás do prédio da Segurança Geral, no centro de Riad. Embora a nota oficial refira-se a apenas um carro-bomba, um policial disse à Associated Press, antes, que ?a explosão resultou de dois carros-bomba estacionados a cerca de 15 metros do prédio.? Ele acrescentou que ?inúmeros corpos chamuscados foram levados do local?.Ele disse também que os feridos incluem o diretor-geral do Departamento de Trânsito de Riad.Os funcionários dos hospitais para onde estão sendo levadas a vítimas já confirmaram nove mortes e dizem que, pelo menos, 125 pessoas ficaram feridas, incluindo vários policiais, civis e três crianças, muitos em estado crítico.Equipes de resgate estão ainda trabalhando no meio dos escombros que cobre mortos e sobreviventes. O príncipe herdeiro saudita, Abdullah, está visitando os feridos. Um funcionário do Ministério da Relações Exteriores disse que Richard Armitage, representante do Secretário de Estados dos EUA, encontrou-se com o ministro Saud al-Faisal uma hora depois do ataque, no ministério, próximo da explosão. O presidente Bush havia despachado Amitage para a região para discutir o futuro do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.