AP Photo/Farah Abdi Warsameh
AP Photo/Farah Abdi Warsameh

Ataque terrorista na Somália mata 12 e fere 24

Entre os mortos estão o conhecido jornalista somali Awil Dahir Salaad, da "Universal TV", e um cinegrafista

EFE, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2018 | 17h04

MOGADÍSCIO - Pelo menos 12 pessoas morreram e outras 24 ficaram feridas em duas grandes explosões realizadas pelo grupo jihadista Al-Shabab neste sábado, no centro de Mogadíscio, em frente ao Palácio Presidencial e ao lado do Teatro Nacional, informou o Serviço de Emergência da capital da Somália.

Entre os mortos estão o conhecido jornalista somali Awil Dahir Salaad, da "Universal TV", e um cinegrafista, conforme informou à Agência EFE o comandante Nur Abdi Ali. 

Os atentados foram realizados com carros-bomba e as explosões ocorreram em um intervalo de 30 minutos. O ataque tinha como alvo um comboio do governo que seguia para o Palácio Presidencial por um dos pontos de acesso de segurança.

O governo vinha mantendo a capital em estado de emergência devido à recente tentativa de submeter o presidente da Somália, Mohamed Abdullahi Farmajo, a uma moção de censura. O processo foi cancelado no dia 11 de dezembro por não conseguir o apoio necessário, já que vários deputados se negarem a assinar o texto. A maioria dos agentes de segurança da região tinha sido deslocada para controlar os acessos a Mogadíscio, o que deu espaço para os integrantes do Al-Shabab orquestrarem o atentado.

A área atacada está interditada e cercada por militares para evitar novos incidentes. Foram emitidos alertas sobre a possibilidade de mais veículos com explosivos estarem preparados para atacar outros lugares da cidade.

A Somália vive em um estado de guerra desde 1991, quando o ditador Mohammed Siad Barre foi derrubado, o que deixou o país sem um governo efetivo e nas mãos de milícias islâmicas e senhores da guerra. A Al-Shabab, que anunciou em 2012 a adesão à rede Al Qaeda, controla parte do território - no centro e no sul do país - e luta para instaurar um estado islâmico wahhabista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.