Extinção ameaça 1 em cada 4 mamíferos, indica estudo

Grupos de conservação da natureza fizeram a primeira avaliação detalhada da situação dos mamíferos no mundo em mais de uma década e a notícia não é nada boa. "Nós estimamos que uma em cada quatro espécies de mamíferos está em extinção e que a população de uma em cada duas está em declínio", revelaram pesquisadores liderados por Jan Schipper, da União Internacional de Conservação da Natureza em Gland, na Suíça. O estudo será publicado na edição de sexta-feira da revista especializada Science.Entre os mamíferos mais ameaçados estão algumas espécies de primatas usadas como parte da alimentação de algumas populações da África e outras afetadas pela perda de habitat natural no sudeste da Ásia, disse Andrew Smith, professor da Escola de Ciências da Universidade Estadual do Arizona e um dos mais de cem co-autores do documento. O relatório também nota grande risco de extinção entre algumas espécies de antas, hipopótamos, ursos e porcos.Em geral, os mamíferos de grande porte encontram-se em risco maior de extinção do que os menores. As espécies maiores possuem população menor, crescem mais devagar e precisam de um habitat maior do que as demais. O resultado do trabalho científico foi divulgado hoje durante uma reunião da União Internacional de Conservação da Natureza em Barcelona, Espanha.A União Internacional de Conservação da Natureza descreve-se como a maior e mais antiga rede global de proteção ambiental. Ela é integrada por mais de mil entidades governamentais e não-governamentais e quase 11.000 cientistas voluntários de mais de 160 países. A pesquisa durou cinco anos e envolveu mais de 1.700 cientistas de todo o mundo.Relatório - O relatório atualiza da Lista Negra de Espécies Ameaçadas de Extinção, elaborada pela entidade, composta atualmente por 44.838 espécies e das quais 16.928 correm o risco de serem extintas.A União Internacional de Conservação da Natureza calcula que 76% de todas as espécies de mamíferos do planeta tenham sido extintas desde 1500. De acordo com o novo relatório, 25% das espécies atualmente presentes na face da Terra estão em risco.Os números citados no documento são 1.141 espécies ameaçadas de 5.487 identificadas, o que daria 20,8% do total. Mas os cientistas alegam que o número real seria maior porque não há informações disponíveis para analisar a situação de diversas espécies.De acordo com os autores do relatório, algumas espécies de mamíferos existem hoje em número tão reduzido que muitas delas estariam em risco de extinção, o que justifica elevar o total a cerca de 25%, disse Smith.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.