Extrema-direita protesta contra austeridade na Hungria

Cerca de 2.500 partidários da legenda húngara de extrema-direita Jobbik marcharam em protesto contra as políticas econômicas adotadas na Hungria, incluindo vários aumentos de impostos e outras medidas de austeridade que o governo local afirmou serem necessárias para manter o déficit orçamentário do país sob controle e sustentar o crescimento.

AE, Agência Estado

12 Maio 2012 | 15h56

O líder do Jobbik, Gabor Vona, disse neste sábado que o governo de centro-direita do atual primeiro-ministro, Viktor Orban, e governos anteriores de orientação socialista arruinaram a Hungria nos 22 anos desde a queda do regime comunista, vendendo o país para bancos estrangeiros e companhias multinacionais, bem como financiando a "máfia econômica e política" que os rodeia.

Vona também criticou os gays e os ciganos, dizendo ainda que os judeus do país eram "anti-húngaros." Jobbik é o segundo partido da oposição no parlamento, tendo ganhado quase 17% dos votos nas eleições de 2010. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.