Associated Press
Associated Press

Extremista da Noruega tem admiradores e gente que quer 'salvá-lo'

Procurador diz que Anders Breivik recebeu entre 200 e 300 cartas de todo o tipo na prisão

Efe

08 de dezembro de 2011 | 09h33

COPENHAGUE - O militante de extrema-direita norueguês Anders Behring Breivik, autor confesso dos atentados de 22 de julho na Noruega nos quais 77 pessoas morreram, recebe cartas de amor, de indivíduos que querem salvá-lo e de gente que o odeia, informou nesta quinta-feira, 8, o canal norueguês TV2.

 

A polícia já entregou a ele em duas ocasiões entre 200 e 300 cartas que haviam sido enviadas da Noruega e de outros países desde o início de sua prisão, mas que não podiam ser entregues por conta da proibição decretada pelos tribunais, que foi parcialmente revogada há três semanas.

 

Breivik, de 32 anos, pode receber agora as cartas que as autoridades consideram que não interferem no curso da investigação. "Enviaram a ele uma grande quantidade de cartas pelo correio, que serão entregues de forma progressiva", declarou ao TV2 o procurador Christian Hatlo.

 

Embora o regime de isolamento ao qual estava submetido tenha sido levantado há quase dois meses, a situação de Breivik não mudou muito na prática, já que é o único preso de segurança máxima da penitenciária de Ila, no oeste de Oslo.

 

A decisão de permitir que receba cartas é um primeiro passo para Breivik, que a partir da próxima segunda-feira poderá pela primeira vez ler jornais, ver televisão e escutar rádio, já que a proibição decretada pelos tribunais irá expirar.

 

Em sua última audiência, realizada em 14 de novembro, a corte de Oslo prolongou sua prisão preventiva por 12 semanas, além de ter estendido por oito a proibição de receber visitas. 

Tudo o que sabemos sobre:
BreivikNoruegaUtoyaOsloEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.