Haakon Mosvold Larsen/Efe
Haakon Mosvold Larsen/Efe

Extremista que matou 77 na Noruega é considerado são

Na próxima segunda-feira, 16, Anders Behring Breivik será julgado pelo massacre, ocorrido em julho do ano passado

AE, Agência Estado

10 de abril de 2012 | 09h11

OSLO - O militante de extrema-direita que confessou o assassinato de 77 pessoas em dois ataques na Noruega não é criminalmente insano, segundo uma nova avaliação psiquiátrica divulgada nesta terça-feira, 10.

Na próxima segunda-feira, 16, Anders Behring Breivik deverá ir a julgamento pelo massacre, ocorrido em 22 de julho do ano passado.

Um laudo anterior indicava que Breivik sofria de insanidade mental, o que lhe conferia a possibilidade de escapar de uma sentença de prisão.

A nova avaliação, conduzida pelos psiquiatras Terje Toerrissen e Agnar Aspaas, foi feita à pedido da justiça após fortes críticas geradas pelo primeiro diagnóstico.

"A principal conclusão dos especialistas é que Anders Behring Breivik não estava psicótico na época de suas ações, em 22 de julho de 2011", disse em comunicado um tribunal de Oslo, a capital norueguesa.

Breivik confessou ter detonado a bomba que matou oito pessoas no centro de Oslo e de ter disparado contra um acampamento de jovens na ilha de Utoya, causando outras 69 mortes. O extremista, no entanto, diz não ser culpado criminalmente por considerar que os ataques foram necessários como parte do que ele chamou de "guerra civil contra o Islã" na Europa.

O tribunal norueguês vai levar ambos diagnósticos em consideração durante o julgamento, que poderá durar até dez semanas. Se for julgado culpado, mas mentalmente incapaz, Breivik será submetido a tratamento psiquiátrico compulsório em vez de ser mandado à prisão.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.