Extremistas incendeiam escola feminina no Afeganistão

Extremistas islâmicos destruíram uma escola para meninas ao sul da capital e distribuíram cartas ameaçando matar qualquer um que trabalhe para o governo afegão, apoiado pelos Estados Unidos, disseram militares do país. A escola feminina Abu Sofian, que funcionava numa tenda, foi incendiada na província Logar, cerca de 50 km ao sul de Cabul, informou o general Hatiqulluh Luddin, um comandante militar regional.Segundo ele, autoridades ainda investigam o incidente, mas o atribuem a "extremistas" de vilas próximas. Luddin disse que duas semanas atrás outra escola feminina do tipo foi incendiada numa cidade vizinha.A escola Abu Sofian, que tem cerca de 250 estudantes de 7 a 13 anos, seria reaberta no sábado, depois de um mês de férias. O antigo regime Taleban, derrubado em 2001 pelos EUA, proibia que meninas freqüentassem escolas a fim de permitir o estabelecimento de um Estado islâmico "puro". Ainda existe forte oposição, entre a maioria étnica pashtun, à educação de meninas.Luddin também disse que na semana passada autoridades em Logar encontraram 30 "cartas noturnas" - panfletos distribuídos normalmente à noite por diferentes grupos extremistas - ameaçando matar quem cooperar com seu governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.