Extremistas islâmicos podem estar usando passaportes legítimos

Os mesmos extremistas islâmicossuspeitos de planejar ataques contra aviões da British Airwayspodem estar usando legítimos passaportes americanos e britânicospara burlar a segurança dos aeroportos internacionais,informaram fontes de inteligência dos Estados Unidos citadas pelo jornalThe Observer, da Grã-Bretanha. Segundo as fontes, o cancelamentode vôos da British Airways, na semana passada, para Washingtone Riad (Arábia Saudita), foi motivado pelo temor de queterroristas com nomes limpos estivessem planejando ataques noano-novo. O The Observer teve acesso a registros de uma agência deinteligência de um país ocidental (não revelado) que mostram queradicais islâmicos consideram Londres como um centro definanciamento e recrutamento. Apesar de fontes do governo britânico negarem que portadoresde passaportes britânicos estejam envolvidos nas ameaças aosaviões da British Airways, ligações telefônicas interceptadaspela agência de inteligência demonstram que células terroristasestão buscando estrangeiros "de boa formação" para suas ações -entre eles, britânicos. Em uma das ligações, um militanteislâmico não-identificado diz a um colega: "Nós precisamos deestrangeiros. Temos albaneses, suíços e ingleses... O maisimportante é que eles têm um alto nível cultural. São homens denegócios, mestres, engenheiros, médicos e professores". O jornal informou também que a British Airways,principal linha aérea da Europa, recusa-se fazer vôos para osEstados Unidos com guardas armados em seus aviões. De acordo comum memorando interno da companhia publicado hoje pelo diário, apresença de agentes armados nos aviões significaria que nãoexiste suficiente segurança a bordo e, neste caso, a empresaoptaria pelo cancelamento do vôo. Há uma semana, os EUA exigiramque as linhas aéreas estrangeiras ponham agentes armados nosaviões com destino ao país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.