Extremistas mataram 20 pessoas na Nigéria

A Nigéria vive uma nova escalada da violência. Autoridades suspeitam que militantes islâmicos sejam os responsáveis pela morte de 20 pessoas no noroeste do país, incluindo um tradicional líder, nos três últimos dias.

AE, Agência Estado

16 de abril de 2014 | 11h29

O político Hyeldi Bwala disse que homens armados invadiram o palácio do emir de Gwoza na terça-feira à noite e assassinou ele e um de seus seguranças. Na semana passada, o emir tinha apelado ao governo para "salvar nossas almas", dizendo que o seu povo estava sendo atacado diariamente.

Em outro incidente, dois homens armados atacaram uma aldeia no distrito de Gwoza e mataram 18 pessoas.

As mortes se somam a explosão que matou 75 pessoas na capital do país, Abuja, na segunda-feira e ao sequestro de cerca de cem meninas adolescentes no noroeste do país ontem. Os ataques aumentam as dúvidas sobre a capacidade das forças armadas da Nigéria de conter o levante islâmico que já chega ao seu quinto ano. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaviolênciaexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.