ANHA via AP
ANHA via AP

Extremistas usam escudos humanos em fuga de cidade síria

Extremistas foram expulsos de Minbej, norte da Síria, por forças curdas apoiadas pelos bombardeios da coalizão dirigida por Washington; EI controlava a área desde o início de 2014

O Estado de S. Paulo

16 Agosto 2016 | 21h31

A coalizão internacional contra o Estado Islâmico (EI) perseguia um grupo de extremistas que usaram escudos humanos para fugir da cidade síria de Minbej, libertada recentemente, afirmou um porta-voz militar americano nesta terça-feira, 16.

No dia 6, os extremistas foram expulsos dessa cidade estratégica do norte da Síria por forças curdas apoiadas pelos bombardeios da coalizão dirigida por Washington. O EI controlava a área desde o início de 2014.

Pouco antes da queda do que foi um de seus bastiões, entre 100 e 200 integrantes do EI fugiram em automóveis, ou de caminhão, relatou o coronel americano Chris Garver, porta-voz da coalizão com base em Bagdá, durante uma videoconferência.

"Era possível ver civis em todos os comboios, misturados com os combatentes", lamentou. Com o objetivo de evitar danos colaterais, "as forças associadas (da coalizão) no terreno não travaram combate com o comboio", acrescentou Garver.

Os veículos estavam repletos de combatentes do EI, reféns civis e pessoas que se deslocavam por sua própria vontade junto com os extremistas, entre eles integrantes de suas famílias, afirmou.

"Tivemos de tratá-los todos como não combatentes. Não disparamos. Apenas olhamos", garantiu, acrescentando que os extremistas - que se dirigiram para o norte antes de se separar - são procurados. "Estamos seguindo suas pistas", afirmou, sem dar mais informações por ser uma "operação em curso". / AFP 

Mais conteúdo sobre:
Síria Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.