Exumados supostos restos mortais de Colombo

Baús contendo os supostos restos mortais de Cristóvão Colombo, seu filho Hernando e seu irmão Diego foram exumados nesta segunda-feira e levados, sob escolta policial, pelo sul da Espanha, como parte de um complexo projeto para determinar com exatidão o local de sepultamento do explorador. Na presença de dois descendentes de Colombo - Jaime e Anunciada Colon de Carvajal -, os pesquisadores retiraram dois baús de dentro de uma tumba numa catedral de Sevilha. Os restos mortais de Colombo estariam em um dos baús e os de seu filho Hernando, em outro.Um terceiro baú conteria os restos mortais de Diego, irmão do navegador. Todos foram exumados nos arredores de Sevilha. Em seguida, foram levados à Universidade de Granada, onde serão submetidos a uma série de exames, inclusive de DNA, para determinar se os restos mortais pertencem realmente a pessoas de uma única família."Provavelmente esta é a primeira vez em que os três viajam juntos", brincou Marcial Castro, pesquisador responsável pelo projeto. "Esperamos que os exames em Granada nos ajudem a estabelecer se eles são parentes e se Colombo está realmente sepultado em Sevilha." Uma teoria sugere que os restos mortais do explorador estariam em Sevilha. Outra corrente, no entanto, alega que Cristóvão Colombo teria sido enterrado num monumento em Santo Domingo, na República Dominicana.Segundo Castro, os baús continham ossos inteiros. "Pensávamos que encontraríamos somente pó, mas há ossos inteiros com os quais cientistas podem trabalhar." Os resultados dos exames só deverão ser revelados dentro de alguns meses.Depois da morteColombo morreu em 20 de maio de 1506 em Valladolid, Espanha. Três anos mais tarde, seus restos mortais foram levados ao monastério de La Cartuja, nos arredores de Sevilha, apesar de um pedido pessoal do navegador para que fosse sepultado na América.Em 1537, Maria de Rojas y Toledo, viúva de Diego, um outro filho de Colombo, enviou os ossos do marido e do sogro a Santo Domingo. Os restos mortais ali permaneceram até 1795, quando a Espanha cedeu a ilha à França, mas determinou que os ossos de Colombo não deveriam cair nas mãos de estrangeiros.Os ossos foram então enviados a Havana, Cuba. Em 1898, quando eclodiu a guerra entre Estados Unidos e Espanha, eles foram levados de volta a Sevilha. Em 1877, no entanto, algumas pessoas trabalhavam na catedral de Santo Domingo quando encontraram um baú com ossos e a inscrição "Homem ilustre e destacado, dom Cristóvão Colombo", dando início à controvérsia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.