EZLN se reúne para comemorar 13º aniversário no México

Simpatizantes e milicianos do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) mexicano e membros de organizações sociais de diversos pontos do mundo iniciaram neste fim de semana no estado de Chiapas (sul) o I Encontro dos Povos Zapatistas com os Povos do Mundo. A reunião marca o início dos atos de comemoração do décimo terceiro aniversário de criação do EZLN, nos quais não é segura a presença de seu líder, o subcomandante Marcos. Milhares de indígenas se deslocaram de suas comunidades das Juntas de Buen Gobierno de los cinco Caracoles até o centro cerimonial de Oventic, no município de San Andrés Larraínzar, a mais de 160 quilômetros ao norte da capital de Chiapas, Tuxla Gutiérrez.Los Caracoles são os centros políticos e culturais de contato entre a sociedade civil e os rebeldes e as Juntas de Buen Gobierno órgãos de administração dos quais dependem geograficamente. Ambas as fórmulas foram criadas pelo EZLN na década de 90 para administrar seu território.Junto aos zapatistas, centenas de ativistas mexicanos e estrangeiros instalaram seus acampamentos nas imediações da aldeia para participar do encontro, realizado em um enorme coberto de madeira. Como é habitual, os rebeldes discursaram cobertos com capuzes e indumentárias características de suas etnias.O encontro, inaugurado no sábado à tarde, terminará na terça-feira e terá seu ponto culminante na segunda, quando serão lembrados a revolta dos guerrilheiros zapatistas e o 23º aniversário da criação da corrente combativa nas montanhas do sudeste mexicano.Uma representante de um dos municípios da região identificada como Josefina considerou que a unidade e organização que manteve o EZLN ao longo dos anos serviu para demonstrar que para seu desenvolvimento não necessitam de esmolas do governo mexicano. Consultados pela imprensa sobre a presença de Marcos aos atos, os indígenas disseram desconhecer se o subcomandante aparecerá em Ovendic, embora confirmaram a presença de alguns membros do Comando Geral do grupo guerrilheiro.O EZLN irrompeu na cena nacional e mundial em 1º de janeiro de 1994, o mesmo dia em que entrava em vigor o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (NAFTA), o maior bloco comercial do mundo, com o qual o ex-presidente Carlos Salinas de Gortari (1988-1994) pretendia catapultar o México ao primeiro mundo. Após vários dias de confrontos armados com os militares, os insurgentes estabeleceram um cessar-fogo com o governo para iniciar diálogos de reconciliação que estão suspensos. Na sexta-feira, o governo presidido por Felipe Calderón expressou seu desejo de "manter a comunicação" para um possível acordo de paz com o EZLN. O subcomandante Marcos percorreu o país em quatro ocasiões, a última vez este ano na qualidade de "delegado Zero" para divulgar a ´Outra Campanha´ que conta com milhares de aderentes no mundo, mas que teve pouco eco no interior do México.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.