Fábrica chinesa da Toyota retoma produção após greve

Empresa japonesa diz que ofereceu aos trabalhadores benefícios adicionais, mas não um aumento salarial

Efe,

20 de junho de 2010 | 06h18

PEQUIM - Os trabalhadores da maior fábrica da empresa de automóveis, Toyota, na China retomaram neste domingo, 20, suas atividades após três dias de greve, a última de uma série de reivindicações incomuns por parte de operários chineses que afetaram também outras multinacionais, como a Honda.

Segundo informa a agência estatal de notícias Xinhua, os operários da fábrica do município de Tianjin, no nordeste do país e próximo a Pequim, puseram fim a três dias de greve para exigir melhoras salariais.

Porta-vozes da empresa japonesa assinalaram que ofereceram aos trabalhadores benefícios adicionais, mas não um aumento de salários.

As greves nas unidades chinesas de fabricantes de automóveis como Toyota e Honda, assim como uma onda de suicídios nas fábricas da taiwanesa Foxconn (fabricante do iPad e do iPhone) em protesto pelas condições trabalhistas, evidenciam o descontentamento dos 130 milhões de imigrantes rurais chineses.

Tudo o que sabemos sobre:
Toyota, fábrica, China, greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.