Fábrica da Foxconn, em Taiyuan, reabre após briga

A fábrica da Foxconn, em Taiyuan, no norte da China, retomou suas atividades nesta terça-feira, informou um gerente da companhia, um dia após ela ter fechado suas portas depois de uma grande briga entre os trabalhadores. Foi necessária a ação de cerca de 5 mil policiais, durante várias horas, para que o confronto fosse dominado.

EQUIPE AE, Agência Estado

25 de setembro de 2012 | 02h45

A Foxconn - a maior fabricante mundial de componentes para computadores - monta produtos para a Apple, Sony e Nokia, dentre outros, e emprega um milhão de pessoas na China. A unidade em Taiyuan produz o iPhone 5, novo smartphone da Apple, lançado este mês.

Um total de 40 pessoas sofreram ferimentos depois que uma "disputa pessoal entre vários empregados" se transformou em uma briga generalizada que envolveu cerca de 2 mil pessoas em um alojamento, informou a matriz da Foxconn de Taiwan, Hon Hai, em comunicado.

A gigante do setor eletrônico tem sido criticada sobre as questionáveis condições de trabalho, após uma série de trabalhadores cometerem suicídio nos últimos dois anos. Em 2010, pelo menos 13 funcionários da Foxconn na China cometeram suicídio. A fábrica emprega 79 mil trabalhadores em Taiyuan. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaFoxconnbrigafábricareabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.