Fábrica fatura com sapato atirado em Bush

Pedidos não param de chegar a Istambul

, O Estadao de S.Paulo

27 de dezembro de 2008 | 00h00

Ao serem empregados como mísseis improvisados, eles roubaram a dignidade do presidente George W. Bush e provocaram a prisão de seu arremessador. Mas o par de calçados mais agressivos do mundo trouxe uma inesperada prosperidade para um sapateiro turco. Ramazan Baydan, proprietário da Sapataria Baydan, de Istambul, foi bombardeado por encomendas vindas de todo o mundo, depois de ter afirmado que os sapatos pretos de couro arremessados pelo jornalista iraquiano Muntazar al-Zaidi durante a entrevista coletiva de Bush no dia 14 foram fabricados por sua empresa.Baydan contratou mais 100 trabalhadores para atender à demanda por 300 mil pares do Modelo 271 - quatro vezes mais do que sua venda anual -, desencadeada pelas manifestações de apoio a Zaidi, detido pela polícia iraquiana.As encomendas foram feitas principalmente nos EUA e Grã-Bretanha, e em países muçulmanos vizinhos à Turquia, disse ele.Cerca de 120 mil pares foram encomendados pelo Iraque. Uma empresa americana fez um pedido de 18 mil pares. Uma empresa britânica parece ter-se oferecido para realizar na Europa a distribuição do calçado, que está no mercado desde 1999 e custa na Turquia cerca de US$ 50. Também houve aumento nos pedidos vindos da Síria, Egito e Irã, onde a principal federação de sapateiros ofereceu a Zaidi e sua família um fornecimento vitalício de calçados.Para atender ao mercado, Baydan pretende rebatizar o modelo como "sapato de Bush" ou "adeus Bush". "Vendemos esses sapatos há anos, mas agora os pedidos não param de chegar. Até contratamos uma agência para se encarregar da publicidade na TV", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.