Fabricante da Apple retira ação contra jornalistas chineses

A companhia taiuanesa Foxconn, contratada pela Apple, retirou sua ação por calúnia contra dois jornalistas do jornal chinês "China Business News".A retirada da ação ocorre poucos dias após a Foxconn, fabricante do iPod para Apple na China, decidir reduzir a indenização pedida de US$ 3,75 milhões para US$ 0,13.Os jornalistas afirmaram em artigo que os funcionários de uma fábrica da Foxconn na cidade de Shenzhen recebiam apenas US$ 125 por mais de 12 horas de trabalho por dia. Os empregados também tinham sido proibidos de falar durante o expediente, segundo a matéria.O tribunal local aceitou a demanda e congelou os ativos pessoais dos dois processados, a redatora Wang You e o editor Weng Bao.A companhia e o jornal fecharam um acordo para não fazer comentários sobre o assunto, mas a Foxconn declarou seu "respeito pelo ´China Business New´, um jornal econômico influente na China", segundo a agência de notícias "Xinhua".Fontes do jornal também "expressaram seu respeito pela contribuição da Foxconn ao desenvolvimento econômico da China e esperam que a companhia continue realizando ainda mais contribuições no futuro", segundo a agência.O caso provocou uma grande polêmica na China, cujos meios se uniram para apoiar os jornalistas, assim como a organização Repórteres Sem Fronteiras, que pediu em carta aberta a intercessão do presidente da Apple.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.