Facções pró e contra Saleh se enfrentam no Iêmen

SANAA

, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2011 | 00h00

Facções partidárias do governo iemenita entraram ontem em choque com manifestantes pró-reformas, inspirados no movimento egípcio, nas ruas de Sanaa, capital do Iêmen. Pelo menos 17 pessoas ficaram feridas nos confrontos, segundo fontes ligadas aos grupos reformistas.

Foi o segundo dia consecutivo de manifestação convocada principalmente por estudantes e conselhos de advogados do país. Os manifestantes exigem a renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh, que está no poder há 32 anos.

Cerca de 3 mil manifestantes marcharam da Universidade de Sanaa até a Praça Al-Tahrir, no centro da cidade, onde partidários de Saleh estavam acampados desde a semana passada.

Os dois grupos acabaram entrando em choque, apesar das barricadas de arame farpado que visavam a impedir a movimentação dos oposicionistas.

Na véspera, a polícia tinha usado cassetetes para dispersar um protesto com cerca de 2 mil pessoas na capital. Uma mulher ficou ferida e dez pessoas foram presas, segundo testemunhas. Os manifestantes são em sua maioria estudantes e ativistas da sociedade civil. Eles gritam slogans pedindo que Saleh, siga o exemplo do egípcio Hosni Mubarak, forçado a renunciar na sexta-feira. Na semana passada, Saleh anunciou que não concorreria à reeleição nas eleições de 2013 nem tentaria impor o nome de um de seus filhos para sucedê-lo. Mas isso não foi suficiente para reduzir os protestos. "O povo quer a queda do regime", afirmavam os manifestantes, exigindo a saída de Saleh agora. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.