REUTERS/Joshua Roberts
REUTERS/Joshua Roberts

Facebook deleta perfis de grupos supremacistas brancos após violência nos EUA

Rede social diz não permite os discursos de ódio ou o elogio de atos terroristas

O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2017 | 22h08

LOS ANGELES, EUA - O Facebook deletou perfis de vários grupos supremacistas brancos e neonazistas da rede social após os episódios de violência registrados durante o fim de semana na cidade de Charlottesville, nos Estados Unidos.

O site Buzzfeed informou, citando fontes do Facebook, que a rede social deletou nos últimos dias as páginas de grupos como "Right Winged Knight", "Awakening Red Pill", "Physical Removal", "Genuine Donald Trump", "Awakened Masses", "White Nationalists United" e "Vanguard America".

"Nossos corações estão com as pessoas afetadas pelos trágicos eventos de Charlottesville", indicou um porta-voz do Facebook em um comunicado divulgado pelo site especializado Techcrunch.

"O Facebook não permite os discursos de ódio ou o elogio de atos terroristas. E estamos eliminando, de forma ativa, qualquer publicação que glorifique o horrendo ato cometido em Charlottesville", indicou a nota.

Um neonazista foi preso no sábado por jogar seu carro contra um grupo que protestava contra a manifestação dos supremacistas brancos em Charlottesville. Uma mulher de 32 anos morreu atropelada por ele.

O crime provocou uma onda de indignação e críticas aos grupos racistas, tanto de políticos republicanos como democratas, mas o presidente dos EUA, Donald Trump, criticou em sua primeira reação aos incidentes a "violência de muitos lados".

Na segunda-feira, Trump condenou de forma explícita o Ku Klux Klan, os neonazistas e os supremacistas brancos. No entanto, recuou nesta terça-feira em nova entrevista coletiva, quando voltou à tese original de que os "dois lados" são responsáveis pela violência. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.