REUTERS/Dado Ruvic
REUTERS/Dado Ruvic

Facebook estima que 126 milhões de usuários viram conteúdos ligados à Rússia

Documentos obtidos pelo 'Wall Street Journal' revelam pela primeira vez o alcance das supostas ações russas

O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2017 | 22h02

WASHINGTON - O Facebook estima que cerca de 126 milhões de usuários podem ter visto conteúdos com a intenção de causar discórdia publicados por contas ligadas à Rússia, durante mais de dois anos, nos Estados Unidos. Essa informação será entregue a investigadores do Congresso americano, de acordo com cópias de documentos obtidos pelo Wall Street Journal.

+Ex-chefe de campanha de Trump é indiciado em investigação sobre interferência russa

A possível audiência para o conteúdo disseminado pelas contas da Internet Research Agency, ligada ao Kremlin, revela pela primeira vez o alcance das supostas ações russas.

Alguns legisladores dizem, no entanto, que as contas podem ter tido um alcance muito maior, incluindo o conteúdo orgânico, como publicações gratuitas e listas de eventos.

Ao todo, as contas produziram 80 mil peças de conteúdo - posts orgânicos e anúncios - no Facebook entre janeiro de 2015 e agosto de 2017, de acordo com o que a rede social planeja dizer.

O conselheiro-geral do Facebook, Colin Stretch, vai testemunhar à Subcomissão de Justiça do Senado para Crime e Terrorismo amanhã, ao lado dos conselheiros do Twitter e do Google.

Executivos das três companhias vão testemunhar na quarta-feira nas Comissões de Inteligência da Câmara dos Deputados e do Senado, que estão tocando investigações sobre as atividades russas durante a eleição do ano passado. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.