Itumeleng English/AP
Itumeleng English/AP

Falso intérprete diz que trabalhou em vários eventos oficiais na África do Sul

Thamsanqa Jantjie

O Estado de S. Paulo,

17 de dezembro de 2013 | 16h03

JOHANNESBURGO - Thamsanqa Jantjie, o "falso" tradutor acusado de inventar os sinais durante discursos de líderes mundiais no memorial de homenagem a Nelson Mandela disse na terça-feira, 17, que trabalhou como intérprete de sinais durante anos em grandes eventos para o governo da África do Sul e para o Congresso Nacional Africano (CNA), partido do atual presidente, Jacob Zuma.

O "intérprete" afirmou ainda que tem provas de que trabalhou em eventos oficiais no passado. Jantjie, que afirmar sofrer esquizofrenia - e teria alucinado durante o funeral -, contou que passou por um exame médico na última sexta-feira, 13, em um hospital psiquiátrico em Johannesburgo. O hospital informou que não pode divulgar informações sobre seus pacientes.

Um primo e três amigos de Jantjie disse que ele fez parte da multidão que em 2003 atacou dois homens encontrados com uma televisão roubada, colocaram fogo em pneus em torno dos dois e os deixaram morrer queimados. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
África do SulThamsanqa Jantjie

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.